Edições da Revinter

pdf Indicadores antropométricos de obesidade na avaliação do risco cardiovascular em policiais militares

Marcado em Lúcia Castro Santos de Oliveira

Resumo

Objetivo: Avaliar o estado nutricional e o risco coronariano de policiais militares de Teresina, Piauí. Métodos: Trata-se de um estudo transversal de natureza descritiva, que avaliou 189 policiais militares, que realizam policiamento ostensivo, com idade superior a 18 anos, de ambos os sexos. Foram aferidos os dados de peso (kg), estatura (m), circunferência da cintura (cm) e circunferência do quadril (cm) para avaliação antropométrica. O risco coronariano foi avaliado de acordo com indicadores antropométricos: Circunferência da Cintura, Índice de Conicidade, Índice de Massa Corporal, Razão Cintura-Quadril, e Razão Cintura-Estatura. Resultados: A média de idade dos policiais foi de 32,9 ± 7,3 anos, com 95,24% sendo homens. O peso médio foi de 79,1 ± 12,58kg, a estatura 1,72 ± 0,71m, a circunferência da cintura 91,17 ± 9,37cm e a circunferência quadril 105,92 ± 66,09cm. Na avaliação do perfil antropométrico, realizada através do cálculo de IMC, detectou-se que 68,25% dos policiais estão com excesso de peso, sendo 15,87% obesos. A análise do risco coronariano, realizada pela circunferência da cintura, razão cintura-quadril, Índice de conicidade e Razão Cintura-Estatura, demonstrou que 35,98%; 46,04%, 40,74% e 64,55% dos policiais, respectivamente, apresentavam risco de desenvolver problemas cardíacos. Conclusão: Os policiais militares avaliados foram classificados com excesso de peso, apresentando risco para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, levando em conta a análise dos indicadores antropométricos e sua relação com o risco coronariano.

Palavras-chave

Obesidade. Antropometria. Doença Crônica.

Referências

ANJOS, LA; WAHRLICH, V. Avaliação antropométrica. In: TADDEI, JA; LANG, RMF; LONGO-SLIVA, G; TOLONI, MHA. Nutrição em saúde pública Rio de Janeiro: Rubio, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. VIGITEL Brasil 2010: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

CARLUCCI, EMdeS; GOUVÊA, JAG; OLIVEIRA APde; SILVA, JDde; CASSIANO, ACM; BENNEMANN, RM. Obesidade e sedentarismo: fatores de risco para doença cardiovascular. Com. Ciências Saúde. v.24, n.4, p.375-384. 2013.

CAVALCANTE, E.C. Avaliação do estado nutricional e nível de atividade física de Policiais Militares do 1ºBPM do Estado do Espírito Santo. Monografia [Bacharel em Nutrição] - Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. 2013.

COSTA JUNIOR, GR.; TONELLO, L.; NEVES, RL.; RIBEIRO, JC.; MIRANDA, EF. Qualidade de vida, estilo de vida e saúde: um artigo de revisão. Revista Amazônia. v.1, n.1, p. 33-40. 2013.

DUMITH, SC; ROMBALDI, AJ; RAMIERS, VV; CORREA, LQ; SOUZA, MJA; REICHERT, FF. Associação entre gordura corporal relativa e índice de massa corporal, circunferência da cintura, razão cintura-quadril e razão cintura-estatura em adultos jovens. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. v.14, n.3, 2009.

GONÇALVES, SJdaC; VEIGA, AJdaS; RODRIGUES, LMS. Qualidade de vida dos policiais militares que atuam na área da 2ª CIA do 10º Batalhão Militar (Miguel Pereira e Paty dos Alferes). Revista Fluminense de Extensão Universitária. v.2, n.2, p.53-76. 2012.

HAUN, DR; PITANGA, FJG; LESSA, I. Razão cintura/estatura comparado a outros indicadores antropométricos de obesidade como preditor de risco coronariano elevado. Rev Assoc Med Bras. v.55, n.6, p.705-1. 2009

I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. Arquivos Brasileiros de Cardiologia 2005, 84.

JACOBINA, DS; SOUZA, DFXde; NUNES, JPdaS; CURTO, LB; AGUIAR, LFM; VASCONCELOS, LFCde; ROSS, MGR; RIBEIRO, RAC; CUNHA, RSPda. Comparação do estado nutricional e do nível de condicionamento físico de oficiais combatentes do exército brasileiro nos cursos de formação, aperfeiçoamento e comando e estado-maior. Revista de Educação Física. v.137, p.41-55. 2007.

JESUS, GMde; MOTA, NM.; JESUS, EFAde. Risco cardiovascular em policiais militares de uma cidade de grande porte do Nordeste do Brasil. Rev Bras Ciênc Esporte. v.36, n.3, p.692-699. 2014.

LEITE, AJ; SILVA, FAB . Nível de pressão arterial dos policiais militares do 19º BPM – GO e percepção sobre sua própria saúde. Monografia [Bacharelado em Enfermagem] - Faculdade FACESA; 2006.

LEITE, EO; MACIEL, FT; FERREIRA, JS. Avaliação de medidas antropométricas e pressão arterial de soldados de uma organização militar de campo grande, MS. EFDeportes, v.152, 2011 Disponível em: http://www.efdeportes.com

LIMA, AD; LUSTOSA, RP; DANIELE, TMdaC; UCHÔA, FNM; FOSCHETTI, DA; SANTOS, ATdosS; UCHÔA, NM; SANTOS, RLdos. A associação do índice de massa corpórea com a relação cintura/quadril no comprometimento da saúde de policiais militares no Estado do Ceará. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. v.10, n.59, p.330-339. 2016.

MACHADO, SP; RODRIGUES, DGC; VIANA, KDAL; SAMPAIO, HAdeC. Correlação entre o índice de massa corporal e indicadores antropométricos de obesidade abdominal em portadores de Diabetes mellitus tipo 2. Rev Bras Promoç Saúde. v.25, p.4, p.512-520. 2012.

MELO, M.A. A associação entre estresse e níveis pressóricos dos policiais militares de Porto Alegre. Monografia (Bacharelado em Enfermagem). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2013.

MIRANDA, VPN; PELUZIO, MdoCG; FRANCESCHINI, SdoCC; PRIORE, SE Marcadores inflamatórios na avaliação nutricional: relação com parâmetros antropométricos, composição corporal e níveis de atividade física. RASBRAN – Revista da Associação Brasileira de Nutrição. v.6, n.1, p.61-72. 2014.

MORAES, KDde; ARAUJO, AP; SANTOS, AFdos; BARBOSA, JMA; MARTINS, MLB. Correlação entre o índice de massa corporal e indicadores antropométricos de risco cardiovascular em mulheres. Rev Pesq Saúde. v.16, n.3, p.175-181. 2015.

OLIVEIRA, KLde; SANTOS, LMdos. Percepção da saúde mental em policiais militares da força tática e de rua. Sociologias [online]. v.12, n.25, p. 224-250. 2012.

PIAUÍ. Lei Complementar nº 35, de 06 de novembro de 2003. Altera dispositivos das Leis nºs 3808 de 16 de julho de 1981, e 5210, de 17 de setembro de 2001.

PITANGA, FJG; LESSA, I. Razão cintura-estatura como discriminador do risco coronariano elevado de adultos. Rev Assoc Med Bras. v.52, n.3, p.157-61. 2006.

PITANGA, FJG; LESSA, I. Sensibilidade e especificidade do índice de conicidade como discriminador do risco coronariano em adultos em Salvador, Brasil. Rev. Bras. Epidemiol. v.7, n.3, p.259-269. 2004.

REIS JUNIOR, J. Avaliação da composição corporal em policiais militares do 22º batalhão da polícia militar do estado de Goiás. 2009. Dissertação [Mestrado em Ciências da Saúde]. Universidade de Brasília, Brasília; 2009.

VALDEZ, R. A simple model-based index of abdominal adiposity. J Clin Epidemiol. v.44, n.9, p. 955-956. 1991

VIEIRA, AM.; GOMES, AdaS; VIEIRA, RAL; SILVA, FC; PREVIATO, HDRdeA; VOLP, ACP. Associação entre medidas antropométricas e de composição corporal com os componentes da síndrome metabólica e índice de qualidade da dieta em adultos com excesso de peso. Demetra, v.11, n.2, p.399-413. 2016.

World Health Organization. Obesity: Preventing and managing the global epidemic, report of a WHO consulation. WHO Technical Report Series nº 894. Geneva, Switzerland: WHO, 2000.

World Health Organization. Physical Status: the use and interpretation of anthropometry. WHO Technical Report Series nº 854. Geneva, Switzerland: WHO, 1995.

DOI: http://dx.doi.org/10.22280/revintervol10ed3.303

Atendimento

Rua Turiassu, 390 | 9º Andar Perdizes | São Paulo-SP CEP 05.005-000 | Brasil

  • dummy+55 (11) 3868.6970

  • dummyatendimento@intertox.com.br

Newsletter

Não perca nenhuma novidade sobre a Revinter! Receba todas as edições da Revinter no seu e-mail grátis!

Search

Lançada! Revinter v. 10, n. 3 (2017): Volume 10 • Número 3 • Outubro de 2017 - São Paulo  botao 1