Edições da Revinter

pdf Indicadores epidemiológicos das intoxicações exógenas em crianças menores de 5 anos na região de Araçatuba-SP Popular

Marcado em Thiago Oliveira Ramos, Vilma Clemi Colli

Resumo

Intoxicação é o processo constituído pelo agregado de sinais e sintomas que retratam a instabilidade orgânica promovida pela ação de substância tóxica. Em todo o mundo, as intoxicações demonstram significativo problema de Saúde Pública. Os acidentes intoxicantes são contínuos e dados sobre as causas prevalentes são fundamentais para as políticas públicas de terapia e prevenção. O objetivo foi descrever as características epidemiológicas dos casos de intoxicações exógenas em crianças menores de 5 anos atendidas em unidades de emergência e notificadas pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN – MINISTÉRIO DA SAÚDE) na região de Araçatuba-SP no período janeiro de 2010 a dezembro de 2015. O presente foi exploratório, retrospectivo, descritivo de caráter observacional e realizado a partir de dados colhidos do SINAN - Sistema de Informação de Agravos de Notificação, referente ao Grupo de Vigilância Epidemiológica XI situado no município de Araçatuba – SP no período de 2010 a 2015. Os dados foram avaliados de acordo com as variáveis:  idade, gênero, via de exposição, agente tóxico e evolução. Dos casos, 51,7%, corresponderam ao sexo masculino e a idade mais relacionada foi de 1 a 2 anos (34,3%). A via digestiva representou 95,5% das intoxicações e os agentes tóxicos mais envolvidos foram medicamentos (42%). A cura sem sequela correspondeu a 99,6% dos casos. Houve aumento de 300% de casos notificados (2010-2015). Sugere-se a necessidade de proposta de vigilância em saúde, com investigação, monitoração, protocolos clínicos uniformizados, que sirvam de suporte para planejamento de ações emergenciais e preventivas.

Palavras-chave

Intoxicação, intoxicante, crianças, acidente

Referências

ALCÂNTARA, D. A.; VIEIRA, L. J. E. S.; ALBUQUERQUE, V. L. M. Intoxicação medicamentosa em criança. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 16, n. 1-2, p. 10-16, jun. 2003. Disponível em: Acesso em: 20 de Março de 2016.

AMORIM, M. G. R. et al. Incidência e principais causas de acidentes domésticos em crianças na Fase Toddler e pré escolar. Faculdade Integrada de Patos-PB, 2006. Disponível em: < http://coopex.fiponline.com.br/images/arquivos/documentos/7.pdf> Acesso em 03 de Novembro de 2016.

AZEVEDO, F. A.; CHASIN, A. D. As Bases Toxicológicas da Ecotoxicologia. 1 ed. Editora Rima, São Carlos, SP: Intertox, 2003, Cap. 5, pag. 127.

BOCHNER, R. Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas SINITOX e as intoxicações humanas por agrotóxicos no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 12, n. 1, p. 73-89, Mar. 2007 . Disponível em:

&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 10 de Marco de 2016.

BORTOLETO, M. E.; BOCHNER, R. Impacto dos medicamentos nas intoxicações humanas no Brasil. Cad Saude Pública = Rep Public Health, v.15, n.4, p.69, 1999. Acesso em 20 de Outubro de 2016.

COPETTI, A.; et al. Atendimentos a crianças e adolescentes vítimas de acidente domiciliar em um hospital materno infantil no sul de Santa Catarina. Revista Inova Saúde, Criciúma, vol. 3, n. 2, nov. 2014. Disponível em: http://periodicos.unesc.net/Inovasaude/article/view/1310/1669 Acesso em: 13 de Abril de 2016.

DA SILVA, V. M; et al. Intoxicações exógenas notificadas no Sinan Net em 2010: Perfil Epidemiológico dos casos confirmados no Maranhão. Revista ABEN Seção Maranhão, Imperatriz, vol. 1, n 84, 2010. Disponível em: Acesso em 07 de Novembro de 2016.

GHESHLAGHI, F.; et al. Acute Poisoning in Children; a Population Study in Isfahan, Iran, 2008-2010. Iran J Pediatr, Iran, vol. 23, n.2, p. 189-193, Abril, 2013. Disponível em: Acesso em 08 de Novembro de 2016.

JEPSEN, F.; RYAN, M. Poisoning in children. Current Paediatrics, v. 15, n. 7, p.563-568, 2005. Disponível em:

Acesso em 07 de Abril de 2016.

LOURENÇO, J; FURTADO, B. A.; BONFIM, C. Intoxicações exógenas em crianças atendidas em uma unidade de emergência pediátrica. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 21, n. 2, p. 282-286, 2008 . Disponível em:

&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 13 de Março de 2016.

MALTA D.C, et al. Perfil dos atendimentos de emergência por acidentes envolvendo crianças menores de dez anos: Brasil, 2006 a 2007. Ciênc. saúde coletiva [Internet];14(5):1669-79, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ar ttext&pid=S1413-

&lng=em Acesso em: 15 de Março de 2016.

MARTINS, C. B. G.; Acidentes na infância e adolescência: uma revisão bibliográfica. Rev Bras Enferm, maio-jun; 59(3): 344-8, 2006 Disponível em: Acesso em: 03 de Novembro de 2016.

MINTEGI, S. et al. Emergency visits for childhood poisoning: a 2-year prospective multicenter survey in Spain. Pediatric emergency care, v. 22, n. 5, p. 334-338, 2006. Disponível em: < http://journals.lww.com/pec- online/Abstract/2006/05000/Emergency_Visits_for_Childhood_Poisoning A_2_Year.6.aspx> Acesso em 03 de Abril de 2016.

OLIVEIRA, F. F. S.; SUCHARA, E. A. Perfil epidemiológico das intoxicações exógenas em crianças e adolescentes em município do Mato Grosso. Revista Paulista de Pediatria, v. 32, n. 4, p. 299-305, 2014. Disponível em:

Acesso em

de Março de 2016.

OZANNE‐SMITH, J. et al. Childhood poisoning: access and prevention. Journal

of paediatrics and child health, v. 37, n. 3, p. 262-265, 2001. Disponível em:

Acesso em: 07 de Abril de 2016.

PRESGRAVE, R. F; CAMACHO, L. A. B.; VILLAS BOAS, M. H. S. Análise dos dados dos Centros de Controle de Intoxicação do Rio de Janeiro, Brasil, como subsídio às ações de saúde pública. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n.2, p. 401-8, fev. 2009. Disponível em: . Acesso em: 07 de Novembro de 2016.

RAMOS, C. L. J.; TARGA, M. B. M.; STEIN, A. T. Perfil das intoxicações na infância atendidas pelo Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul (CIT/RS), Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 21, n. 4, p. 1134-1141, Agosto 2005. Disponível em:

. Acesso em 14 de Março de 2016.

SCHVARTSMAN, C.; SCHVARTSMAN, S. Intoxicações exógenas agudas. Jornal de Pediatria, v. 75, n. 2, p. S244-50, 1999. Disponível em:

Acesso em: 01 de Abril de

SOUTO SILVA, C.; DE SOUZA, K.; MARQUES, M. F. L.; Intoxicações Exógenas: Perfil dos casos que necessitaram de assistência intensiva em 2007. [S.l.]: R Bras Ci Saúde, 65-68 p. v. 15, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 de Novembro de 2016.

SILVA FILHO, J.; Intoxicações Exógenas no município de Sobral-Ceará sob a ótica da vigilância sanitária. 2009. Disponível em: Acesso em 07 de Novembro de 2016.

WATSON, W. A.; et al. Annual report of the American Association of Poisoning Control Centers Toxic Exposure Surveillance System. American Journal of Emergency Medicine. v. 23, n. 5, p. 589 - 666, 2005. Disponível em:

Acesso em

de Maio de 2016.

WERNECK, G. L.; HASSELMANN, M. H. Intoxicações exógenas em crianças menores de seis anos atendidas em hospitais da região metropolitana do Rio de Janeiro. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 55, n. 3, p. 302-307, 2009 . Disponível em:

&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 16 de Marco de 2016.

ZAMBOLIM, C. M. et al. Perfil das intoxicações exógenas em um hospital universitário. Rev. Assoc. Méd. Minas Gerais, v. 18, n. 1, p. 5-10, 2008. Disponível em: Acesso em 12 de Março de 2016.

DOI: http://dx.doi.org/10.22280/revintervol10ed3.308

Atendimento

Rua Turiassu, 390 | 9º Andar Perdizes | São Paulo-SP CEP 05.005-000 | Brasil

Newsletter

Não perca nenhuma novidade sobre a Revinter! Receba todas as edições da Revinter no seu e-mail grátis!

Search

Lançada! v. 11, n. 1 (2018): Volume 11 • Número 1 • Fevereiro de 2018 - São Paulo  botao 1